terça-feira, 13 de agosto de 2013

Belos Cavalos


Este é o primeiro livro da designada "Border Trilogy", que como o nome indica, tem por cenário o sul dos Estados Unidos e o México. A acção decorre em meados do século passado e tem por herói um jovem cowboy que procura o seu lugar no mundo.
John Grady Cole, um adolescente demasiado novo para assistir ao fim de um modo de vida ancestral e sem vontade para sobreviver na nova era que desponta.
A frustração leva-o a fugir para sul, na companhia de Lacey Rawlins, um amigo com o qual partilha  ideais. Ao longo da jornada o leitor toma consciência da camaradagem forjada no silêncio que une os dois jovens, sempre questionada pelo rude ambiente que os rodeia. É perante os obstáculos que o homem se descobre e, estes surgem de forma crescente durante a viagem. De salientar também a comunhão entre homem e cavalo. John Cole acima de tudo nutre um sentimento de paridade com a sua montada em particular e com mundo equestre no geral, como se adivinhasse e partilha-se o destino destes belos animais no progresso da nova realidade que surge no horizonte. 
John cole é um velho de dezasseis anos, um herói sereno e obstinado, condenado a errar pelo mundo na companhia do seu corcel e da decepção que o atormenta.
 
Este livro marca o reconhecimentodo autor, pois é o seu primeiro best-seller. Não é o seu melhor romance, mas não deixa de ser um belo livro do melhor escritor vivo que conheço.

2 comentários:

João Vaz disse...

Já somos dois a achar isso. O último que li foi A Travessia, por acaso li-o antes dos Belos Cavalos. É excelente, este homem. Não fosse um bocado reacionário em algumas obras e já tinha o Nobel. Assim vai esperando. Saúde.

Vasco Dionísio disse...

Sem dúvida amigo joão, o Nobel era algo já merecido,mas sabe como é, não é do quadrante ideológico certo... Saúde da boa.